Sábado, Maio 25

Fragmentos do vírus da gripe aviária descobertos no leite

Os reguladores federais disseram na terça-feira que amostras de leite pasteurizado de todo o país deram positivo para restos inativos do vírus da gripe aviária que tem infectado vacas leiteiras.

Os fragmentos virais não representam uma ameaça para os consumidores, disseram as autoridades. “Até à data, não vimos nada que pudesse alterar a nossa avaliação de que o fornecimento comercial de leite é seguro”, afirmou a Food and Drug Administration num comunicado.

No mês passado, um vírus da gripe aviária conhecido como H5N1 foi detectado em mais de 30 rebanhos leiteiros em oito estados. Sabe-se também que o vírus infectou um trabalhador rural, cujo único sintoma era conjuntivite.

Os cientistas criticaram a resposta federal, dizendo que o Departamento de Agricultura tem sido demasiado lento na partilha de dados importantes e não conduziu adequadamente testes de infecção em gado.

Encontrar fragmentos virais no leite da cadeia de abastecimento comercial não é o ideal, mas o material genético representa pouco risco para os consumidores que bebem leite, disse David O’Connor, virologista da Universidade de Wisconsin-Madison.

“O risco de se infectar com leite contendo fragmentos virais deveria ser zero”, disse ele. “O material genético não pode se replicar.”

As autoridades não informaram quantas amostras de leite pasteurizado deram positivo para fragmentos virais ou de onde vieram essas amostras. Essas são questões-chave, dizem os especialistas.

Se os fragmentos estiverem presentes em muitas amostras de toda a oferta comercial de leite, isso sugeriria que o surto é provavelmente muito mais generalizado do que foi relatado.

Na semana passada, o The New York Times informou que o vírus também foi detectado em um rebanho de vacas leiteiras da Carolina do Norte que não apresentava sintomas da doença.

“O problema nas vacas leiteiras pode ser muito maior do que imaginamos”, disse o Dr. O’Connor. “Essa seria a preocupação, não que o leite em si fosse um risco”.

As autoridades federais garantiram repetidamente aos consumidores que o fornecimento comercial de leite é seguro, observando que os produtores de laticínios devem manter o leite de animais doentes fora do abastecimento alimentar humano.

E quase todo o leite produzido nas fazendas americanas é pasteurizado, um processo projetado para matar patógenos com calor. A pasteurização também deverá inactivar os vírus da gripe, que são conhecidos por serem frágeis e sensíveis ao calor, dizem os especialistas. Só recentemente o FDA testou a eficácia da pasteurização no H5N1.

A descoberta de fragmentos virais no leite levantou sérias preocupações na Casa Branca sobre como evitar alarmes indevidos sobre o fornecimento de laticínios, segundo pessoas familiarizadas com as deliberações internas que não estavam autorizadas a falar publicamente sobre elas.

Espera-se que as autoridades federais abordem as descobertas em uma entrevista coletiva nos próximos dias.

Esta história em desenvolvimento será atualizada.