Sábado, Julho 13

Os pais da UC Berkeley contrataram segurança privada para patrulhar perto do campus

Os pais da UC Berkeley contrataram segurança privada para patrulhar perto do campus

Alguns pais de estudantes da Universidade da Califórnia, em Berkeley, contrataram seguranças privados para patrulhar perto do campus, algo que a escola diz que deveria ser deixado para a polícia do campus.

O grupo, chamado Ursos Seguros, diz representar mais de 1.300 pais de alunos da universidade. Ele disse que decidiu contratar seguranças após vários crimes envolvendo estudantes no ano passado, incluindo um roubo de carro perto de uma casa de fraternidade e outro perto do campus.

A universidade, que tem cerca de 45 mil estudantes, disse num comunicado que a contratação levantou preocupações sobre formação e experiência, e que “os fundos universitários são mais bem gastos na contratação de mais” polícias do campus.

Jonathan Simon, professor de justiça criminal na UC Berkeley, disse em comunicado que entendia por que os pais estavam preocupados com a segurança, mas que não havia evidências de que o risco na universidade fosse excepcional.

“Simplesmente não vejo como esta façanha pode fazer alguma coisa para alterar significativamente esses riscos e, em vez disso, refletir o privilégio relativo dos pais envolvidos”, disse ele.

Seria melhor manter a academia aberta 24 horas por dia e ter pistas de corrida e corrida bem iluminadas para ter mais espaço para os alunos permanecerem no campus à noite, acrescentou.

Os pais ficaram nervosos depois de alguns crimes de grande repercussão nos campi universitários. Em fevereiro, o corpo de uma estudante de enfermagem da Universidade Augusta, de 22 anos, foi encontrado em uma área arborizada no campus da Universidade da Geórgia, em Atenas, Geórgia.

SafeBears (o nome é uma homenagem ao mascote da UC Berkeley) gastou mais de US$ 40.000 para contratar agentes de segurança por meio de um empreiteiro. De 6 a 23 de março, seis “embaixadores da segurança” com jaquetas amarelas brilhantes patrulharam áreas próximas à escola, mas não no campus, das 18h30 às 3h30. As áreas foram escolhidas devido a recentes relatos de crimes, segundo os pais. .

“Ouvi muitos estudantes expressarem gratidão e alívio quando disseram que viram nossos agentes de segurança patrulhando o campus”, disse Sagar Jethani, presidente da SafeBears, cujos filhos gêmeos estão no segundo ano da faculdade.

Todas as pessoas contratadas pela SafeBears passaram por uma verificação de antecedentes criminais, segundo comunicado do grupo.

Eles também receberam pelo menos 32 horas de treinamento como agentes de segurança. Eles não carregavam spray de pimenta, cassetetes, algemas ou qualquer outro “equipamento defensivo”, segundo o comunicado.